sexta-feira, 26 de junho de 2009

Au-pair - Encontrando uma família

Essa é a parte principal do processo, encontrar uma família na Alemanha. Isso pode demorar - ou não. Aconselho a procurar família através de uma agência. Diferente dos EUA, por exemplo, para ser au-pair na Alemanha não é obrigatório ter uma agência. A maioria das meninas (os) encontra através da internet. O site http://www.aupair-world.net/ é o mais popular. Você cria um perfil com seus dados e pesquisa as muitas famílias que também tem seus perfis no site. Através disso, vocês podem entrar em contato, trocar e-mails e "fechar negócio", digamos assim. Não custa nada para ambos os lados. Mas eu particularmente não confio muito, já que muita gente infelizmente usa a internet de má fé. Mesmo assim, continua sendo um meio muito usado e muita gente encontrou família assim, foi, voltou e não teve problema nenhum. Vai de cada um escolher a forma que prefere.

A verdade verdadeira é que ninguém tem como prever como será um ano de au-pair, pode ser família por indicação, família encontrada por agência ou pela internet - só a convivência vai mostrar a realidade. O importante é se precaver, sentir segurança. Na Alemanha existem muitas agências de au-pair. Para a família encontrar uma menina(o) através de uma agência, ela precisa pagar uma taxa (nem sempre barata) e sabe que terá um apoio durante o ano. Pra au-pair também vejo como vantagem pois terá a quem recorrer em caso de aperto. Para a au-pair nada é cobrado para se inscrever em uma agência (se for pedido dinheiro, caia fora).

Agências

** Em Munique, recomendo a VIJ, que tem ligação com a igreja luterana. Nesse site, você encontra as infos (em português :) http://www.vij-muenchen.de/aupair/de/74_portugues.html. No momento,é a Frau Ira Bravo que coordena, ela é muito bacana.
** Em Hamburg, ouvi falar de uma agência onde o dono fala português e muitas brasileiras já foram, inclusive uma amiga minha foi e não teve problemas. Coordenada pelo Oliver Bartsch. Também tem site em português: http://www.aupairnaalemanha.com/main.html

Não se assuste com a questão de "ter experiência" na função, claro, que quanto mais referências você tiver (de que ajudava em alguma creche, voluntariado, cursos etc), mais rápido será encontrar uma família, mas eu mesma nunca me imaginei fazendo o que faço, sendo muitas vezes como uma mãe e dona-de-casa, mas a gente dá conta (e muitas vezes sendo confundida como a verdadeira mãe da criança que cuido - ó céus, eu nos meus 21 anos, já sendo mãe de uma menina de quase 7 !!)

Importante é ir para uma cidade grande ou média. Muitos vão para as chamadas DORFs (vilas), que existem aos montes aqui na Alemanha, e acabam se decepcionando: poucas ou nulas opções de curso, longe de tudo, sem opções de lazer, para ir até a cidade mais próxima se gasta uma grana etc. Então é bom pensar nisso também. As três maiores cidades da Alemanha são Berlim, Hamburgo e Munique, nessa ordem. Naturalmente, seriam as mais recomendáveis, outras cidades bacanas também seriam Köln (Colônia), Düsseldorf, Frankfurt, Stuttgart entre outras. E pesquise também onde exatamente você vai morar. Às vezes é dito que a cidade fica "nos arredores de Berlim", por exemplo, mas na verdade é lá na caixa prego e o acesso à cidade grande é difícil (e caro!). Pegue o endereço e fuce no Google Maps, Google Earth e tudo que tem direito.

Mapa da Alemanha:















Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/alemanha/imagens/mapa-da-alemanha-6.gif

No formulário que tem que preencher para se candidatar nas agências (ou mesmo no perfil dos sites de busca), existem várias perguntas a serem respondidas. Importante: seja sincera (o)! Se tem alguma restrição, tipo prefere cuidar de crianças maiores, tem medo de cachorro, ou sei lá o que, deixe claro. Através das suas respostas a agência irá buscar uma família com interesses semelhantes aos seus. Então nada de mentir (ou omitir) informações pra achar família mais rápido ou coisa assim, lembre-se que depois irá passar um ano nessa situação.

Quando já tiver contato com as famílias interessadas, pergunte sobre tudo! Mesmo. Tire suas dúvidas porque na empolgação de ir acabamos esquecendo de perguntar coisas importantes, como seus horários de trabalho, suas folgas, como fica nos feriados, com o que exatamente vai ajudar nas tarefas domésticas, as possibilidade de fazer o curso de alemão etc. . Ah! Prefira famílias que tem Putzfrau (faxineira). No começo a gente fica meio assim de perguntar tudo, mas é melhor fazer pra evitar problemas futuros. E outra, alemão é bem mais direto que a gente, então perca o medo. Um detalhe importante: escolha uma família que fale somente alemão com você, nada de seu próprio idioma. Algumas famílias querem que você fale português ou inglês com as crianças, por exemplo. Furada. Você acaba relaxando, e não desenvolve o alemão, que é (ou deveria ser) um dos objetivos da sua vinda.

A rotina de cada au-pair é muuito diferente, depende logicamente da rotina de cada família, aí é que você vai observar, comparar e escolher qual a que mais combina com seu perfil. E daí vai, conversem por e-mail, telefone, skype, como preferir. O importante é você sentir confiança.

É bom lembrar que o programa de au-pair não é um programa de férias, é de trabalho. Mas também de estudo. Então,você tem que ter tempo de trabalhar E estudar, não exclusivamente um deles. Au-pair mora onde trabalha, então flexibilidade é uma palavra muito importante. Ninguém bate cartão. Mas uma rotina pré-estabelecida tem que ter.

Depois que você "fecha" com a família, ela deve enviar o contrato de trabalho pra você (em 2 vias) assinar e enviar novamente. Com a sua via do documento (assinado pela família e por você), é possível ir no Consulado requerer o visto de au-pair na Alemanha. Antes disso não! No contrato deve estar especificado as duas partes, horário de trabalho, atividades que irá desenvolver, a responsabilidade da família de pagar o seguro saúde, duração do contrato etc. Leia bem antes de assinar, apesar de a maioria deles ser em formato padrão, só mudando os dados das partes, logicamente.

Vá de cabeça aberta, lembre-se que vai morar com uma nova família, diferente da sua, com outros costumes,num lugar distante... É uma experiência única mesmo quando surgem problemas. Tive vários conflitos com minha primeira família, troquei. Isso também é possível, então venha sem medo. Pra tudo tem solução. Mas já me encontrei com minha antiga família, conversamos e resolvemos tudo, sem mágoas. Foi um grande aprendizado, dos dois lados.

De um jeito ou de outro, esteja certa (o): vai ser o ano de sua vida!















2 comentários:

Juliana Gritens 26 de julho de 2009 07:30  

ta eu nunca vi um post tao gigante hahauhauua;
vo da uma olhada no site,
teu blog ta com um conteudo muitissimo bom!

até!

Ellen 29 de julho de 2009 13:19  

Menina, como vc escreve bem!! Definitivamente, vc tem que terminar as Contábeis e partir para as Letras :) Suspeita, eu, nao?! rs..

  © Free Blogger Templates Spain by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

BlogBlogs.Com.Br